25.9 C
Jacobina do Piauí
19 de maio de 2024
Cidades em Foco
GeralPolítica

Rejane Dias assume Seduc com dívida de R$ 100 milhões e foca modernização de gestão

A primeira-dama Rejane Dias (PT) assume nesta segunda-feira (23), às 11h, no Palácio de Karnak, a Secretaria de Estado da Educação (Seduc). Candidata a deputada federal mais bem votada nas eleições de 2014, ela assume a pasta em momento de reestruturação e estabelece como meta um modelo de gestão mais eficaz, com foco em resultados.


Deputada federal mais bem votada em 2014, Rejane Dias assume Seduc (Foto: Thiago Amaral)

“O propósito da educação é o ensino, e nossa principal meta é nos tornarmos uma referência em melhoria neste setor. Mas, para atingi-la, precisamos fazer todo o sistema funcionar adequadamente. Isso requer uma gestão profissionalizada, que encontre e supere os entraves na administração da educação para racionalizarmos o uso dos recursos e obtermos os resultados esperados no planejamento”, destaca Rejane Dias.

 

 

No comando da Seduc, a petista pretende contar com a parceria de empresas e instituições que auxiliam governos a otimizar a gestão pública. Uma das primeiras medidas será profissionalizar a direção das escolas. As eleições para diretor devem ser retomadas, mas só poderão concorrer professores aprovados em teste para a função, que tenham passado por análise de currículos e cujo currículo conste curso de gestão escolar.

 

Recuperação

 

Rejane Dias vai receber a gestão da Seduc do advogado Helder Jacobina, que deu início ao processo de recuperação financeira e estrutural da pasta. A nova administração tenta enxugar mais de R$ 100 milhões em dívidas, recuperar cerca de 460 escolas, garantir a oferta adequada de professores e aumentar as matrículas.

 

Entre janeiro e março, a Seduc garantiu o pagamento do piso dos professores acima do valor nacional, convocou 700 novos docentes e 34 nutricionistas aprovados em concurso e iniciou negociação com a Secretaria de Estado da Administração para melhorias salariais de servidores administrativos.

 

 

Com Helder Jacobina como secretário interino, a Seduc conseguiu destravar mais de R$ 5 milhões em recursos do Ministério da Educação e do Fundo Nacional para o Desenvolvimento da Educação (FNDE). Aproximadamente R$ 45 milhões ainda estão bloqueados por pendências da gestão do ex-governador Zé Filho (PMDB). Com recursos próprios e de convênios com a União, a pasta está recuperando mais de 200 escolas, incluindo a reforma geral do Liceu Piauiense, programada para ser concluída em junho.

 

 

 

 

Cidade Verde

 

Notícias relacionadas

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Se você está de acordo, continue navegando, aqui você está seguro, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais