27.3 C
Jacobina do Piauí
15 de junho de 2024
Cidades em Foco
GeralPolícia

Áudio mostra frieza de suspeito ao confessar desejo de matar até a própria mãe

Em novo áudio exibido pela TV Cidade Verde nesta sexta-feira (31), Bruno Wanderson de Sousa, 20 anos, o Bruno Bereta, suspeito de oito homicídios em Teresina, faz a confissão de vários crimes. Nos arquivos, ele se mostra frio ao descrever um homicídio em que atingiu um rival com um tiro na cabeça e revela ainda o desejo de matar a própria mãe, a esposa e seus irmãos.

Em um trecho, ele conta como matou duas pessoas, um pertencente à gangue rival conhecida como Turma do Sítio, na zona Sudeste de Teresina, região onde Bruno reside. Segundo a polícia, ele mora no bairro Alto da Ressurreição. Ele conta ter acertado um tiro na cabeça – chamada por ele de “jaca” – de uma das vítimas.

“Tá ligado, moleque, esse safado lá, doido, que eu botei lá, doido? Treta minha mesmo, tá ligado? Um era aqui do Sítio e outro era lá do Morada do Sol. Esses dois safados. E nesses dois dias que eles morreram, eles iam tentar era me matar, doido. Eu que fui ligeiro, saí pra fora com o ‘oitão’ e matei um. O outro pegou foi nove, um no pescoço e outro na ‘jaca'”, conta.

Em seguida, ele conta em detalhes como matou um outro rival.

“Ontem ele não escapou, não. Ontem subi em cima dele e foi daquele preço, com ‘três doizinho’ (se referindo a arma usada). O primeiro que eu dei foi na ‘jaca’ (cabea) ele caiu só o pacote, entendeu? Chega ele ficou igual um menino nos meus pés. Os pés ficou (sic) todo melado de sangue, um sangue ‘véi’ daquele inseto”.

E deixa um recado: “Tá ligado? É assim. Safado atravessa é ‘nóis’. Escreveu, não leu, a bala comeu”.

Uma segunda pessoa chama Bruno para um crime e questiona a situação do rapaz junto à esposa. “Tu agora tá ficando só com tua mulher? Ei, tem umas paradas ‘boa’ pra nós aqui. Se tu tivesse aqui, nós ‘ia’ fazer dinheiro era só ‘nas manha’. Tem coisa aqui e é da boa”, diz.

Bruno responde afirmando ter vontade de sair de casa, ou então vai matar a própria mãe e a esposa.

“Quero ir embora daqui, que eu não quero ficar mais aqui perto dessas ‘desgraça’ não, senão eu termino matando é tudinho. Uma que diz que é minha mãe, outra desgraça que diz que é minha mulher aqui, minha irmã, irmão, eu mato é tudinho. Vou terminar fazendo uma desgraça”, confessa.

Os áudios auxiliaram a polícia a desvendar parte dos crimes cometidos por ele, que está preso preventivamente desde o último dia 1º. De acordo com a polícia, o tem uma ficha criminal extensa, tendo mandados de prisão preventiva em aberto por furto de veículos e porte ilegal de arma de fogo,  além de ser suspeito da autoria de oito homicídios na capital.

No último dia 29, outros áudios divulgados revelaram o momento em que ele planejava um assalto a uma empresa em Teresina, com um comparsa.

Comandante de policiamento da capital, o coronel Márcio Oliveira revela que o suspeito pode ter cometido muitos outros crimes.

“Ele tem um perfil e pode ter até mais crimes, isso é o que a gente sabe. Ele sente prazer em fazer esse comentário. Ele tem desvios de personalidade, é um individuo violento. O ideal é manter isolado da sociedade”, diz.

O comandante destaca ainda as várias reincidências de Bruno e o início do rapaz no mundo do crime ainda na adolescência.

“São reiteradas ocorrências, iniciando ainda na época em que ta formando a personalidade e não teve limite, ele ficou contumaz na pratica. A reincidência é alta, fica pouco tempo encarcerado. Porque para menores, a legislação é frouxa e na maioridade temos muitas brechas legais e eles acabam saindo. Ele deve ser isolado. Pelo seu próprio perfil, é difícil deixar a prática”, explica.

 

Maria Romero / Cidade Verde

Notícias relacionadas

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Se você está de acordo, continue navegando, aqui você está seguro, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais