27.9 C
Jacobina do Piauí
12 de junho de 2024
Cidades em Foco
GeralPiauíPolítica

Ex-governador do Piauí poderá ficar inelegível por oito anos; Confira!

Multa em seu valor máximo e inelegibilidade por 8 (oito) anos. É o que pede o Procurador Regional Eleitoral Kelston Pinheiro Lages na Ação de Investigação Judicial Eleitoral que é alvo o ex-governador Zé Filho, o ex-coordenador de comunicação Tony Trindade, o ex-candidato a vice-governador Sílvio Mendes de Oliveira Filho e o ex-Secretário de Administração João Henrique de Almeida Sousa. Para o MPE, em parecer datado de 15 de maio, ocorreu o abuso de poder político e econômico de todos os investigados no decorrer do pleito eleitoral de 2014

De acordo com a Ação os Investigados teriam praticado diversas condutas ilícitas que configuraram abuso de poder político e econômico, na medida em que passaram a utilizar, desde a pré-campanha, publicidade institucional desvirtuada em prol da candidatura, publicidade institucional (placas, outdoors e sítio eletrônico do diário oficial do Estado) realizada em período vedado e excesso de gastos em folha de pagamento.

Segundo a ação, ajuizada pela Coligação A Vitória Com A Força do Povo, houve desvirtuamento da propaganda institucional por parte dos Investigados reconhecida, inclusive, em duas Representações eleitorais o que demonstra a total ausência da finalidade de prestar informações de interesse público, com caráter estritamente informativo, educativo e de orientação social.

A ação também investiga o excesso de gastos com a folha de pagamento, o Poder Executivo Estadual ultrapassou o limite legal de despesas com pessoal, previsto no art. 20, II, “c” da Lei de Responsabilidade Fiscal e, ainda assim, continuou a realizar inúmeras nomeações de servidores com finalidade eleitoreira.

João Henrique(Imagem:Francyelle Elias/ GP1)

Para o procurador: “É conclusão pacífica nos tribunais a de que o excessivo número de nomeações ou contratação de serviços prestados, quando vislumbrada a finalidade eleitoral, constitui abuso de poder que compromete a lisura e o equilíbrio do pleito eleitoral.

O MPE finaliza se manifestando pela procedência da Ação de Investigação Judicial Eleitoral, “para que seja reconhecido o abuso de poder político e econômico, com a consequente aplicação de multa, em seu patamar máximo, e declaração de inelegibilidade por oito anos a todos os Investigados”.

 

Fonte: Gil Sobreira – GP1

Notícias relacionadas

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Se você está de acordo, continue navegando, aqui você está seguro, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais