35.7 C
Jacobina do Piauí
18 de maio de 2024
Cidades em Foco
DestaqueGeralMunicípiosPaulistana

Promotora investiga prefeito de Paulistana acusado de perseguição política

A promotora de justiça Emmanuelle Martins Neiva Dantas Rodrigues Belo instaurou procedimento preparatório de inquérito civil público para investigar o prefeito de Paulistana, Gilberto José de Melo, o “Didiu”, acusado de perseguição política contra famílias da região.

De acordo com a portaria de nº 002/2015, assinada no dia 11 de março, a promotoria recebeu denúncia de mãe de uma criança de cinco anos, informando que o motorista do transporte escolar não ia buscar sua filha para levá-la à escola, justificando que ela não havia votado no atual prefeito. O motorista teria informado ainda que o roteiro do transporte escolar foi alterado sem nenhuma justificativa.

A modificação do roteiro do transporte escolar, bem como possíveis perseguições políticas, prejudicam o ensino de crianças com famílias com poucas condições financeiras, especialmente os da zona rural.

O procedimento irá então realizar a colheita de informações e documentos referentes à mudança do trajeto do transporte escolar em quase 1 km por razões políticas, bem como a segurança das crianças e adolescentes ao serem transportados em veículos inadequados no município de Paulistana.

A promotora Emanuelle Martins determinou que fosse encaminhado ofício para o Secretário Municipal da Educação de Paulistana, requisitando informações, como a apresentação de justificativa para a modificação do trajeto feito pelo transporte escolar na zona rural do município de Paulistana, da localidade Sussuarana até o colégio Hildebrando Jorge Rodrigues, bem como apresentação de estudo de impacto, se realizado, para a realização da mudança, entre outros.

Outro lado

O GP1 entrou em contato com o prefeito de Paulistana Gilberto José de Melo, mais conhecido por Didiu, que informou que o trajeto do transporte público escolar do município de Paulistana teve que ser modificado para cortar gastos, pois segundo ele, os recursos advindos da Receita Federal não davam para custear o trajeto antigo, e nem mesmo a manutenção destes transportes.

“Reuni todos os motoristas para explicar a péssima situação em que se encontrava o sistema de transporte público da cidade, e repassei uma nova rota, onde os alunos que morassem até 4 km, próximo aos pontos de parada, deveriam seguir até os locais determinados, e os alunos que morassem, além disso, os motoristas deveriam ir até o lugar mais adequado para buscá-los”, afirmou Didiu.

O prefeito negou que o caso se trate de perseguição política e sim que a mãe da criança não vem cumprindo com o que foi estabelecido. Segundo o prefeito, a mãe da criança queria que o veículo fosse pegar a sua filha na porta de casa, mas como foi estabelecida uma nova rota para os veículos, a criança teria que esperar o veículo em uma parada específica para o ônibus, o que ela não estaria fazendo. Para o prefeito, inconformada com essa mudança a mãe decidiu fazer a denúncia.

 

 

 

Fonte: GP1

Notícias relacionadas

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Se você está de acordo, continue navegando, aqui você está seguro, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais