27.3 C
Jacobina do Piauí
15 de junho de 2024
Cidades em Foco
GeralNordeste em Foco

Programa levará água potável a mais de 1.300 famílias do Semiárido

Mais de 1.300 famílias piauienses residentes em comunidades rurais no Semiárido terão acesso à água potável até o ano que vem. O benefício chegará por meio do programa Água Doce, uma ação do Governo Federal coordenada pela Secretaria de Recursos Hídricos e Ambiente Urbano do Ministério do Meio Ambiente. O programa visa ao estabelecimento de uma política pública permanente de acesso à água de boa qualidade para o consumo humano, por meio de sistemas de dessalinização ambiental e socialmente sustentáveis para atender, prioritariamente, as populações de baixa renda em comunidades difusas do Semiárido.

Técnicos estão percorrendo municípios e elaborando diagnósticos que nortearão o plano de ação. O objetivo é identificar as comunidades que se encaixam no perfil do programa. Ter mais de 20 famílias no povoado e um poço com vazão mínima de 5 mil litros/hora são dois dos principais critérios. Campo Alegre do Fidalgo, Curral Novo, Betânia e Acauã lideram o ranking Índice de Criticidade de Acesso à Água (IACC) e são considerados municípios prioritários.

O programa é coordenado pelo  Instituto de Assistência e Extensão Rural (Emater). Segundo o diretor-geral do órgão, Marcos Oliveira, a etapa de diagnóstico encerra no próximo mês. Ainda no segundo semestre, os primeiros sistemas de dessalinização devem ser implantados.  “É uma política permanente que não concorre com outras, como a de cisternas. Os sistemas pertencem às comunidades e serão gerenciados por elas” explica o diretor.

No primeiro momento, 67 comunidades serão contempladas, beneficiando diretamente pelo menos 6 mil pessoas. Os equipamentos serão adquiridos por meio de licitação. O Ministério do Meio Ambiente disponibilizou cerca de R$ 7 milhões para o Água Doce no Piauí. O governador Wellington Dias autorizou a liberação de contrapartida no valor de R$ 870 mil.

Por determinação do governador, o Emater articula uma parceria com a Uespi, UFPI e Secretaria Estadual da Educação (Seduc), com o objetivo de capacitar, por meio do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec), pessoas das próprias comunidades para realizar manutenção nos equipamentos.

Outro propósito do Emater é possibilitar geração de renda através da água purificada. “Juntamente com a água, queremos deixar condições favoráveis para a criação de peixes, aves e caprinos, além do cultivo de hortaliças e frutas para subsistência e, quem sabe, para geração de renda também para aquelas famílias”, finaliza Marcos Oliveira.

 

Fonte: Governo do Piaui

Notícias relacionadas

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Se você está de acordo, continue navegando, aqui você está seguro, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais