26.8 C
Jacobina do Piauí
22 de junho de 2024
Cidades em Foco
GeralPiauíSaúde

No Piauí, mais de 400 abortos legais foram realizados em Teresina e no interior

Dados da Secretaria Estadual de Saúde do Piauí apontam que 448 mulheres realizaram aborto legal no Piauí, na rede hospitalar do estado. Dos casos, 374 ocorreram em 2014 e 74 neste ano. No Brasil, a retirada do bebê só é permitida em casos de violência sexual ou quando a gravidez oferece risco à mãe ou à criança.

A secretaria de Saúde, através da assessoria, explica que estes dados são referentes a abortos legais em hospitais por todo o estado e incluem casos de violência sexual ou em decorrência de algum problema de saúde, como fetos anencéfalos, que possuem má formação do cérebro.

Entre os casos, em que é permitido o aborto, está o de uma garota de 12 anos que foi violentada em um casarão no caminho da escola. A vítima está grávida de dois meses e família luta para conseguir a realização do procedimento.

Já os dados do Samvvis (Serviço de Atenção à Mulher Vítima de Violência Sexual), que funciona em Teresina, Parnaíba, Picos, Floriano, Bom Jesus, São Raimundo Nonato e Corrente, apontam que, no ano passado, 456 mulheres vítimas de abusos sexuais no estado, sendo 237 em Teresina. Nos últimos dez anos houve aumento de 80% no íncide de violência sexual contra a mulher.

O relatório elaborado pelo Samvvis aponta ainda que a maioria das vítimas tem entre 10 e 19 anos de idade; 78 são crianças de cinco a nove anos e 56  vítimas com até quatro anos de idade. O levantamento mostra que a maioria das agressões ocorrem na casa da vítima, do agressor ou em via pública, sendo que a maioria, tem Ensino Fundamental completo, são da cor parda e desconhecidos da vítima. Entre os agressores em potencial estão ainda vizinhos, conhecidos da família, tios e padrastros.

Entre os municípios piauienses com maiores índices estão Teresina, Altos, Água Branca, Barras, Campo Maior, José de Freitas e União. Em se tratando de bairros na capital, a maioria das vítimas residem nos bairros Promorar, Piçarreira, Angelim I, Mocambinho I e Dirceu II.

 

 

Fonte: Graciane Sousa / Cidade Verde

Notícias relacionadas

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Se você está de acordo, continue navegando, aqui você está seguro, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais