23.9 C
Jacobina do Piauí
24 de abril de 2024
Cidades em Foco
GeralInternacionalPolítica

Ministério Público denuncia filho 04 de Bolsonaro por lavagem de dinheiro

Foto: Reprodução

Jair Renan Bolsonaro, filho do ex-presidente Jair Bolsonaro, foi denunciado pelo Ministério Público do Distrito Federal pelos crimes de lavagem de dinheiro, associação criminosa, uso de documento falso e falsidade ideológica.

Conhecido como filho 04 do ex-presidente, Jair Renan foi alvo da Operação Nexum, deflagrada em agosto de 2023, para apurar o uso de documentos falsos por parte da empresa Bolsonaro Jr. Eventos e Mídia para obter empréstimos bancários. Além do filho do ex-presidente, também foi denunciado o empresário Maciel Alves, que era seu instrutor de tiro.

Duas fontes do Ministério Público e uma da Polícia Civil confirmaram a denúncia.

A defesa de Jair Renan criticou o vazamento do caso, que está sob sigilo. Enquanto os defensores de Alves disseram que não vão se manifestar (leia posicionamento abaixo).

No relatório que consta do processo, a empresa Bolsonaro Jr. Eventos e Mídia, que tinha como sócios Jair Renan e Maciel, teria apresentado documentos falsos para justificar um faturamento de R$ 4,6 milhões. Com esses dados, a dupla conseguiu obter ao menos três empréstimos bancários no Santander. Um deles, de acordo com a apuração, fora usado para pagar uma fatura no cartão de crédito da empresa no valor de R$ 60 mil.

A empresa Bolsonaro Jr. atuava na área de serviços de organização de feiras, congressos, festas e exposições.

À Polícia Civil, o filho do ex-presidente afirmou que as assinaturas nas declarações de faturamento não eram dele. Jair Renan também negou que tenha solicitado empréstimos. A tese é contestada por testemunhas, por peritos e por imagens do aplicativo bancário dele.

Outro lado
Em nota, o advogado Admar Gonzaga, que defende Jair Renan, disse que toda a sua defesa já está no processo e que não iria detalhar à reportagem. Ainda reclamou dos vazamentos das informações para a imprensa. “Esses vazamentos indevidos têm causado o chamado ‘strepitus fori’, muito prejudicial à defesa, ao devido processo, à presunção de inocência e, assim, à imagem de quem tem o direito de se defender. A sociedade perde o status de legalidade e humanidade com essa situação”, disse.

Procurado, o advogado Pedrinho Villard, que defende Maciel, justificou que seu cliente não se manifestaria sobre a denúncia porque o processo corre sob sigilo.

Fonte: Sbt News

Notícias relacionadas

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Se você está de acordo, continue navegando, aqui você está seguro, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais