26.8 C
Jacobina do Piauí
22 de junho de 2024
Cidades em Foco
GeralPolícia

Vítimas de chacina em SP são veladas sob forte comoção

Dois homens de 26 anos, moradores de Osasco, região metropolitana de São Paulo, trabalhadores e sem passagem pela polícia, estão sendo velados na noite desta sexta-feira (14) por suas famílias e amigos, após uma morte violenta, com tiros pelas costas, vítima da chacina em que foram mortas 18 pessoas na noite de quinta-feira (13)

Os dois serão enterrados neste sábado (15), às 8h, no Cemitério Santo Antônio. O primeiro era Presley Gonçalves e foi executado a poucos passos de casa, em frente a um pequeno mercado, onde conversava com amigos, no bairro Jardim Rochdale. Tinha dois filhos, um de quatro meses e outro de dois anos, era casado e trabalhava como entregador de pizzas.

No velório, estava uma testemunha do assassinato, que não quis se identificar. Ela contou que duas motos passaram pelo grupo de amigos e que uma delas, com duas pessoas usando gorro preto, parou ao lado deles. O homem que estava na garupa sacou uma arma e disparou várias vezes, segundo a testemunha, atingindo a parte de trás da cabeça da vítima. Quem estava perto correu. A testemunha afirmou que, após a correria, o homem na garupa deu um tiro para cima e gritou “Polícia”. O piloto acelerou a moto e foi embora.

O segundo jovem morto, Deivison Lopes Ferreira teve o mesmo fim do pai, assassinado quando o filho tinha nove anos. A investigação, na época, não revelou culpados e o crime ficou sem solução. Na noite de quinta-feira (13), Deivison saiu para mostrar um celular que estava vendendo a um colega de trabalho. Na volta para casa, a pé, foi atingido por oito tiros nas costas e morreu na hora. Um dos disparos atingiu a nuca.

A mãe do morto, no velório, disse que “se eu pudesse falar [com o assassino], eu falaria: você matou a pessoa errada”. Ela contou que o filho trabalhava carregando e descarregando caminhões, sem registro em carteira, e que tinha arrumado um emprego formal no dia anterior à chacina e iria entregar os documentos na segunda-feira (17).

Segundo o Serviço Funerário de Osasco, sete corpos de vítimas da chacina já foram liberados para velório. Mais quatro pessoas estão sendo veladas no Cemitério Municipal de Barueri e serão enterradas neste sábado, a partir das 8h.

Os crimes aconteceram nos municípios de Barueri e Osasco, em um raio de sete quilômetros, entre 21h e  23h de ontem (13). O secretário de segurança disse que não descarta a hipótese de retaliação pela morte de um policial militar e um guarda civil metropolitano. O policial foi vítima de latrocínio (roubo seguido de morte) na última sexta-feira (7), em um posto de gasolina em Osasco. Na quarta-feira (12), um guarda civil foi assassinado.

Fonte: Agência Brasil

 

Notícias relacionadas

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Se você está de acordo, continue navegando, aqui você está seguro, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais