24.5 C
Jacobina do Piauí
27 de fevereiro de 2024
Cidades em Foco
DestaqueEducaçãoGeralPiauí

Professores de São João da Varjota protestam contra retirada de 5% do quinquênio e cobram valorização

Vista aérea da cidade de São João da Varjota / Foto reprodução

Professores da rede municipal de ensino do município de São João da Varjota, no Piauí, expressam indignação e angústia diante da recente retirada de 5% do quinquênio de seus salários. Eles cobram da gestão a volta dos 5% retirados do quinquênio no mês de janeiro de 2024, alegando que a medida foi motivada por uma lei sancionada pelo ex-presidente Jair Bolsonaro, que retirou essa vantagem dos professores, especialmente durante o período da pandemia, no qual tiveram que trabalhar com seus próprios recursos.

Em meio ao contexto nacional de celebração da Lei de Valorização dos Professores, sancionada pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, os professores de São João da Varjota se encontram inconformados. O desconto repentino de 5% surpreendeu os profissionais, muitos dos quais enfrentam dificuldades para honrar seus compromissos financeiros. Questionam se essa medida representa de fato uma valorização da categoria, especialmente diante da ausência de medidas como a redução da carga horária, a reformulação do plano de carreira e a implementação de auxílio transporte.

“Não somos a oposição, somos professores indignados”, ressalta um dos manifestantes. “Não estamos querendo prejudicar ninguém; os únicos prejudicados somos nós professores, e só queremos ser valorizados“, completa.

A situação tem gerado debates acalorados na comunidade educacional local, com apelos para que a gestão municipal reconsidere a decisão e promova medidas efetivas de valorização dos profissionais da educação. Enquanto isso, os professores de São João da Varjota permanecem firmes em sua luta por justiça e reconhecimento de seu trabalho.

Fonte: Mural da Vila

Notícias relacionadas

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Se você está de acordo, continue navegando, aqui você está seguro, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais