30 C
Jacobina do Piauí
13 de junho de 2024
Cidades em Foco
EducaçãoGeral

Paulo José Cunha não crê no fim do jornal impresso e diz que web é aliada

O jornalista Paulo José Cunha, estudioso da área de comunicação, afirmou na manhã deste sábado (6) que não acredita no fim da mídia impressa e alertou sobre os desafios para os profissionais na era tecnológica. Ele foi o palestrante no 9º Encontro de Jornalistas do Piauí, que acontece no auditório do Senac, na avenida Campos Sales.

Paulo José é professor de jornalismo da Universidade de Brasília (Unb), é âncora da TV Câmara, poeta e escritor. Ele falou sobre “O avanço tecnológico e o futuro da mídia impressa”.

Cunha defendeu a participação do público na construção de notícias, mas ressaltou que a profissão de jornalista é fundamental, principalmente na era do jornalismo cidadão. Ele não crê no fim dos jornais e disse que as ferramentas tecnológicas são aliadas e que os veículos de comunicação e os jornalistas não sabem ainda como se comportarem frente a revolução provocada pela internet.

Cunha descreveu que, com o advento das tecnologias, é possível uma maior interação entre jornalistas e público que auxilia na construção das notícias. “No passado, as pessoas ligavam para as TVs, mas hoje a troca de informações se dá através de ferramentas midiáticas. A rádio CBN, por exemplo, recebe informações de trânsito do público que manda fotos e vídeos, como acidentes e congestionamentos, auxiliando no trabalho jornalístico”, afirmou.

1000

Participaram como debatedores do tema, a coordenadora e jornalista do portal Cidadeverde.com, Yala Sena, o diretor executivo do portal O Olho, Allisson Paixão, e o professor de jornalismo da Uespi, Américo Abreu.

Durante o debate, a jornalista Yala Sena observou que, mesmo com muitos recursos tecnológicos, o profissional não pode esquecer que o jornalismo também é feito através do contato direto com a fonte. “(O momento atual) É um momento propício para a deformação do jornalismo. Porque temos hoje várias ferramentas em rede e, às vezes, o jornalista esquece da importância de estar em campo, de tirar o olho da tela e olhar para as pessoas”, exemplificou.

Multi
Paulo José Cunha defendeu ainda que os jornalistas não podem mais ficar restritos a apenas uma mídia. “Acabou o tempo do “repórter de jornal”, “do de revista”, “de TV” ou “de rádio”. Hoje, somos todos comunicadores e temos que dominar pelo menos duas áreas. É parte do desafio propiciado pelas novas mídias”, declarou, dirigindo-se à plateia formada por profissionais e estudantes de jornalismo.

Confira a programação deste sábado (6):
10h-
O espaço da Cultura no jornalismo brasileiro
Cláudio Augusto Ferreira/DF
Cineas Santos, Menezes e Moraes e Zózimo Tavares

12h Almoço

14h – Palestra
A memória do Jornalismo Piauiense
Palestrante: Herculano Moraes (APL, Alval e AJP)
15h-Debate

Jornalismo, Politica e Ética
Debatedores:
Elivaldo Barbosa
Cantidio Filho
Toni Rodrigues
Aldir Nunes
Evandro Alberto (Picos)

Mediador: Zózimo Tavares
17h Debate
Formação do Jornalista, mercado de trabalho e sindicalismo:
Debatedores -Professor-Doutor Orlando Berti(UESPI)
Professor-Doutor Paulo Fernando(UFPI)
Lana Krisna(R. Sá)
Samara Jericó (Estácio/Ceut)
Luis Carlos Oliveira (Vice-presidente do SINDJOR-PI)

19h encerramento

 

 

 

Fonte: Cidade Verde

Notícias relacionadas

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Se você está de acordo, continue navegando, aqui você está seguro, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais