26.8 C
Jacobina do Piauí
22 de junho de 2024
Cidades em Foco
GeralPolítica

Após cortes, Felipe Mendes diz que assume Codevasf “no fundo do poço”

O presidente da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf), Felipe Mendes, afirmou que assume a presidência no momento em que a empresa está “no fundo do poço”, após cortes da ordem de R$ 69 bilhões no orçamento da União. Mesmo assim, ele afirma estar otimista, e diz que o rio Parnaíba terá atenção especial com a criação de um grupo de trabalho.

De acordo com o presidente, os cortes anunciados pelo Ministério do Planejamento no último dia 22 afetaram todos os ministérios, indistintamente, o que deixa a Codevasf, que também sofreu com a redução de investimentos, “no fundo do poço”. Além disso, questões locais também dificultam a realização de obras importantes pra o desenvolvimento do semiárido com valores orçados em mais de R$ 20 milhões.

“É melhor chegar assim no fundo do poço, porque agora a tendência é subir, melhorar. No Piauí ainda existem obras que estão paradas, com investimentos contingenciados. Há dificuldades na execução do governo do estado. Como a da Barragem de Tinguis, em Brasileira e de Atalaia”, informou.

Ele declarou ainda que haverá um grupo de trabalho especial para tratar das questões relacionadas especificamente ao rio Parnaíba. Segundo ele, o Piauí possui grande atraso no que diz respeito a processos de irrigação do semiárido.

“Eu assumi a tempo de submeter propostas ao Plano Plurianual de Investimentos [PPA] e no orçamento do próximo ano, então temos uma boa perspectiva. E já criei um grupo de trabalho interno para tratar do Parnaíba. Acho que tardamos em cuidar desse assunto de irrigação, que se discute há 13 anos no Piauí e só existe o [assentamento] Marrecas, com cerca de 1 mil hectares irrigados”, informou.

Ele garantiu ainda que não haverá, dentro da Companhia, diferenciação entre partidos ou estados de origem dos dirigentes, já que Felipe é piauiense e assume o cargo anteriormente chefiado por presidentes vindos de Pernambuco e Bahia.

Maria Romero / Cidade Verde

Notícias relacionadas

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Se você está de acordo, continue navegando, aqui você está seguro, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais