24.5 C
Jacobina do Piauí
27 de fevereiro de 2024
Cidades em Foco
DestaqueEducaçãoGeralPicos

Professores da Uespi mantêm greve e pedem que desembargador faça mediação com governo do Piauí

Fotos: Ascom

Os professores da Uespi (Universidade Estadual do Piauí) aprovaram, por unanimidade, nesta segunda-feira (8) a continuidade da greve que já dura seis dias. As aulas na universidade retornaram hoje. Ainda em dezembro, a justiça havia decretado o movimento ilegal, mas somente semana passada os docentes foram notificados da decisão.

Durante a assembleia geral, a direção do Sindicato dos Professores da Uespi deu os informes sobre a decisão judicial que considerou ilegal a greve dos professores.

Lucineide Barros, coordenadora geral do sindicato, disse que a entidade recorreu ao Tribunal de Justiça contra a liminar e pediu que o desembargador Agrimar Rodrigues ajude no diálogo com o governo do estado.

“No recurso pedimos que o desembargador reconsidere a ilegalidade da greve e que ajude na mediação com o governo do estado”.

Segundo o sindicato, a categoria está com defasagem salarial que chega a 68% nos últimos 10 anos.

A proposta da categoria é um reajuste de 22%, sendo parcelado 11% em janeiro e 11% em maio.

Lucineide confirmou que a direção do sindicato esteve reunido com o governador Rafael Fonteles (PT) no dia 7, mas o governador pediu que não fosse tratado sobre o reajuste salarial.

“O governador não quis tratar sobre a questão salarial, nos informou que em fevereiro planejava divulgar um reajuste linear  para todas as categorias, algo que cobrisse a inflação e que não iria discutir escalonamento de reposição de perdas”, disse Lucineide.

Ela ressaltou que o sindicato não se retirou da mesa de negociação e que desde o ano passado busca um acordo com o governo. “Não teve mesa de negociação, já tivemos quatro audiências e o governo não disse nada”, alega Lucineide Barros.

Hoje, durante divulgação da tabela de pagamento dos servidores do estado, o secretário de Administração, Samuel Nascimento, disse que o governo instituiu mesa de negociação para discutir com os sindicatos o reajuste salarial. A primeira reunião será dia 18 de janeiro.

Do CidadeVerde

Notícias relacionadas

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Se você está de acordo, continue navegando, aqui você está seguro, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais