27.9 C
Jacobina do Piauí
12 de junho de 2024
Cidades em Foco
DestaqueGeralMunicípiosPaulistana

Igreja Católica entra na luta para que moradores de São Francisco de Assis tenham o Luz Para Todos

O Papa Francisco está fazendo história. Seus passos de líder que tenta fazer uma igreja fora dos muros parece ter inspirando lideranças católicas piauienses a fazerem o mesmo. A mais nova empreitada de luta da instituição religiosa é, mesmo tardiamente, comprar a briga pela instalação de energia elétrica nas casas de todos os moradores do estado, principalmente das regiões mais pobres do Sertão piauiense.

Nos últimos quatro dias o bispo de Oeiras, Dom Juarez Sousa da Silva, está visitando uma série de comunidades dos lugares mais pobres do Piauí em missão pastoral. Fazia tempo que um líder católico não se embrenhava por tantos dias no meio do Semi-árido piauiense e clamava pessoalmente, e cara a cara com os sertanejos, sobre os problemas sociais do estado.

Ele é o responsável católico por quase um quarto da região do Sertão do Piauí e líder da área mais pobre do estado.

Bispo no meio do povo. Passos do Papa Francisco e lutas sociais por energia. Foto: Severino Carvalho/Rádio Serra FM

Um dos principais pontos do périplo do bispo é ouvir e intermediar a luta dos sertanejos piauienses pela questão da não instalação de energia elétrica. Ele foi provocado pela população da região e pelo padre Geraldo Gereon, líder da Fraternidade São Francisco, que há décadas desenvolve trabalhos sociais e tem lutado pela população sertaneja piauiense.

Como a reportagem de O Olho e vários outros veículos de comunicação vêm noticiando: o problema de falta de energia elétrica no Sertão do Piauí perdura há décadas e mesmo o programa do Governo Federal “Luz Para Todos” ter completado mais de dez anos, essa população sertaneja ainda não pode ser chamada de “todos” no sentido de ter energia elétrica em suas residências.

Ouvir o clamor. Mais de 300 kms entendendo os “sem-luz” do Sertão do PI. Foto: Severino Carvalho/Rádio Serra FM

Nos últimos três dias ocorreram uma série de manifestações de moradores do Sertão insatisfeitos com o Luz Para Todos. A maior delas ocorreu na última quinta-feira (09 de julho) na comunidade Campestre, na cidade de São Francisco de Assis do Piauí (a 500 quilômetros de Teresina).

A região de Campestre (que fica no limite de São Francisco de Assis – município mais pobre do estado –, Paulistana e Jacobina do Piauí) é uma das áreas menos eletrificadas do estado. Além disso é símbolo de espera do Luz Para Todos, principalmente porque faz mais de cinco anos que foram instalados adesivos nas casas prometendo em meses energia. Há mais de dois anos foram colocados postes e até transformadores (depois retirados) e nada de energia elétrica.

Sertanejos piauienses em ato público-religioso pelo Luz Para Todos. Mais um. Foto: Osvaldo Mamédio

CHAMARAM O BISPO. E O BISPO FOI

No Sertão do Piauí há um ditado popular de que quando há um grande problema social é para chamar o bispo. E não é que os sertanejos das cidades de São Francisco de Assis do Piauí e de Paulistana (duas das cidades com mais problemas do Luz Para Todos no estado) chamaram Dom Juarez (bispo de Oeiras e responsável pela área da primeira cidade) e ele veio.

Dona Cipriana Alencar (de azul): 50 anos esperando energia elétrica. Foto: Osvaldo Mamédio

Assim como o papa Francisco, Dom Juarez e o padre Geraldo são da ala católica que defendem o contato maior com as comunidades. São religiosos estilo “meter o pé na lama”.

“Precisamos escutar as comunidades e seus anseios. Viemos para dois tipos de atividades: o anúncio da palavra de Deus e também ouvir o clamor das comunidades que ainda estão à mercê desses problemas”, destacou Dom Juarez, que é piauiense e tido como membro da ala mais popular da Igreja Católica do Piauí.

Longe dos paramentos de bispo (roupas especiais com muito luxo), o bispo arregaçou as mangas e caiu no Sertão. Andou quase 300 quilômetros pela região de São Francisco de Assis do Piauí, ouviu histórias e leva consigo lutas de décadas de pedidos de melhorias sociais e do básico de cidadania naquela região piauiense.

“A luz não chegou. Não é possível que depois de mais de dez anos do Projeto Luz Para Todos ainda não tenha nessa região. É inexplicável. O Estado não pode ser forte contra os fracos e pequenos, mas não ser forte contra os grandes”, falou o bispo, exigindo providências sobre a situação do Luz Para Todos no Sertão do Piauí.

Padre Geraldo Gereon: tentando conscientizar sobre lutas populares no Sertão. Foto: Osvaldo Mamédio

O bispo ouviu centenas de famílias, seus auxiliares anotaram e documentaram todas as denúncias. O líder católico promete agendamentos, para breve, com autoridades em Teresina e até em Brasília, para tratar sobre os casos. “Todos precisamos conhecer essa realidade. Precisamos mais de fé e oração”, disse enquanto rezava uma missa em um dos lugares que não têm energia elétrica. A missa foi à noite e só foi realizada porque a iluminação foi via gerador a gasolina.

ELETROBRÁS PROMETE OBRAS A PARTIR DE AGOSTO

Ofício da Eletrobrás Piauí

Ao menos em termos de papelada a Eletrobrás Piauí promete que até o início de agosto as obras de eletrificação rural na cidade serão iniciadas. A empresa é responsável pelo Luz Para Todos no estado. Sabendo da visita do bispo, enviou ofício à Paróquia de São Francisco de Assis do Piauí um dia antes da chegada do líder católico à região. Igual promessa já é feita desde o mês passado para os moradores da zona rural da cidade de Paulistana.

O ofício número 038, deste ano, assinado pelo gerente do Luz Para Todos no Piauí, engenheiro Erivaldo de Oliveira, reconhece, balizando-se em dados do IBGE, que há 558 domicílios sem energia elétrica em São Francisco de Assis do Piauí (praticamente a metade da cidade e quase 70% da zona rural).

O mesmo documento diz que já há uma empresa licitada para fazer as obras de eletrificação no município, chamada SIPEL, e que 141 residências serão beneficiadas. “O prazo estimado para mobilização das empresas vencedoras do certame e início das obras é em agosto/2015”, promete o documento.

O engenheiro ainda fala que a empresa vencedora para eletrificar as residências fará levantamento de campo, elaborará projetos executivos e apresentará cronograma de obras. “Vale ressaltar ainda, que o Programa Nacional de Universalização do Acesso e Uso da Energia Elétrica – “LUZ PARA TODOS”, foi prorrogado até o ano de 2018”, finaliza o documento.

Dom Juarez Silva apela que o pessoal da Eletrobrás Piauí veja essa situação com justiça, atenção e lealdade.

Fonte: O Olho

Notícias relacionadas

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Se você está de acordo, continue navegando, aqui você está seguro, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais