30.3 C
Jacobina do Piauí
27 de fevereiro de 2024
Cidades em Foco
DestaqueGeralPicosPolícia

Em Picos, adolescente de 14 anos dá à luz criança após ser vítima de estupros pelo padrasto

Foto: Arquivo Cidadeverde.com

Uma adolescente de 14 anos confessou à mãe que a filha que nasceu há 4 meses é fruto de estupros realizados pelo padrasto. O caso foi parar na Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher de Picos, na semana passada. O próprio homem também admitiu para a mulher o que tinha feito. Depois de descobrir, ela se separou e denunciou o caso às autoridades.

Cidadeverde.com/picos conversou com a mãe da adolescente, que se diz perplexa com tudo o que aconteceu. Ao descobrir a gravidez da filha, órgãos de proteção à criança e ao adolescente passaram a acompanhar o caso em segredo de justiça. A menina foi ouvida, mas não fazia menção aos abusos. Somente na semana passada os casos de estupro vieram à tona.

Segundo o relato da adolescente à mãe, os abusos ocorriam há pelo menos dois anos.

“O Conselho Tutelar, CREAS, passaram a acompanhar a situação. Mas minha filha tinha outra versão para a gravidez, que era de um homem de nome Daniel, que nem existe esta pessoa. Na semana passada, eu descobri tudo após o meu ex-companheiro e minha filha relatarem o que tinha acontecido. Isso aconteceu após ele ter um forte ciúmes da minha filha ao ver ela chegando acompanhada em casa. Foi aí que ele abriu o jogo”, enfatizou a mãe.

A mãe então começou a questionar a filha porque ela não contou o que acontecia. A adolescente afirmou que foi seduzida e quando tentou sair ele a ameaçava.

“Ela revelou que inicialmente estava envolvida, mas após se dar conta da situação tentou sair e passou a sofrer ameaças. O meu ex-companheiro ameaçava que mataria ela e eu. Diante da descoberta me separei e agora estou esperando que a justiça possa ser feita”, pontuou.

A mãe da adolescente revelou que após ter conhecimento das supostas relações de estupro, ela e a filha foram até a Delegacia de Polícia Civil para adoção dos procedimentos cabíveis. Elas prestaram depoimento e aguardam o desenrolar das investigações.

Na última sexta-feira (26) foi coletada amostra de material genético na bebê para realização do Exame de DNA (identificação da paternidade). Ela reforça que espera que a justiça possa ser feita.

Cidadeverde.com/picos procurou a Delegacia da Mulher, mas até o momento da publicação, não obteve retorno.

A mãe e o agora ex-companheiro começaram o relacionamento quando a filha tinha 12 anos e os abusos teriam iniciado pouco tempo depois.

“Eu comecei à me relacionar com essa pessoa e passamos a morar juntos. Desde os 12 anos, minha filha começou sendo assediada, seduzida por ele [relatos da adolescente]. A partir daí começou essa relação, vizinhos me alertavam que provavelmente estaria ocorrendo algo de errado na minha casa. Quando eu saía, os vizinhos relatavam que a porta da minha casa ficava trancada, mas nunca suspeitei de nada porque o meu ex-companheiro sempre tratou bem a minha filha”, disse a mãe.

Fonte: Cidade Verde

Notícias relacionadas

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Se você está de acordo, continue navegando, aqui você está seguro, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais