20 de abril de 2024
Cidades em Foco
GeralNordeste em FocoPiauí

Eleição na UFPI: Oposição questiona regulamentação eleitoral e teme parcialidade da comissão

Foto: Site UFPI

A Universidade Federal do Piauí (UFPI) passará por um novo processo eleitoral para saber quem será o reitor e seu vice para o quadriênio 2024-2028. A consulta a comunidade acadêmica ocorrerá em 24 de abril. Pela primeira vez na história, duas mulheres disputarão o cargo em confronto direto. No entanto, o processo para a escolha passa por polêmicas e acusações.

O atual reitor, Gildásio Guedes, e o vice, Viriato Campelo, não vão disputar a reeleição. Entretanto, duas chapas já estão em articulação sobre o pleito eleitoral. Uma delas é composta por Lívia Nery para reitora e vice Welter Cantanhêde. Pela oposição, a chapa também já está definida: Nadir Nogueira será a candidata à reitora e tem como vice Edmilson Miranda.

O grupo da chapa liderada pela professora Nadir, porém, divulgou uma carta pública em que questiona a atual gestão superior da UFPI e cita possíveis processos arbitrários que segundo grupo, prejudica a campanha eleitoral. Um desses imbróglios apontados pela oposição tem relação a primeira etapa do processo eleitoral, a consulta pública dos candidatos.

O professor Emídio Matos cita que o processo de consulta acadêmica deveria utilizar as urnas eleitorais cedidas pelo Tribunal Regional Eleitoral do Piauí, como é uma prática que ocorre em outras instituições.

Primeiro tem o processo de consulta a comunidade, onde o eleitorado vai dizer quem ele prefere. Estamos questionando do porquê não fazer a eleição pela urna eletrônica do TRE? Que é segura, testada e confiável? Há uma preocupação quanto ao sigilo do voto. Do jeito que estão propondo, de maneira virtual, não se tem o controle de quem de fato vai votar

Emídio MatosProfessor da UFPI

grupo de oposição denuncia ainda que há outros atos discricionários no processo, como a redução do tempo da campanha eleitoral e a escolha de uma comissão eleitoral sem ouvir a comunidade.

“Questionamos também sobre a comissão eleitoral. No regimento da Universidade, ele diz que numa reunião extraordinária do conselho só pode ser discutido o que está na pauta. E na última reunião estava a resolução da reunião e não tinha na pauta a escolha da comissão eleitoral”, relata Emídio Matos.

A oposição teme que haja um alinhamento da comissão eleitoral com a atual gestão da UFPI, o que pode beneficiar a candidatura da situação.

Processo eleitoral

No dia 24 de abril, docentes, técnicos administrativos e os estudantes poderão ter acesso à consulta pública quanto aos nomes na disputa pela gestão da UFPI. Passado esse processo, o resultado é encaminhado ao Conselho Universitário para nova votação, que definirá a lista tríplice com três nomes. Por fim, a lista será enviada ao presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, que deverá escolher um novo reitor ou reitora.

Outro lado

A reportagem do O Dia entrou em contato com a assessoria de comunicação da UFPI. Até a publicação desta matéria ainda não havíamos obtido retorno. O espaço segue aberto para esclarecimentos.

Fonte: O Dia

Notícias relacionadas

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Se você está de acordo, continue navegando, aqui você está seguro, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais