26.9 C
Jacobina do Piauí
17 de julho de 2024
Cidades em Foco
EducaçãoGeralInternacionalNordeste em Foco

Docentes do Campus Torquato Neto repudiam proposta de transferência de cursos

Reprodução/TJ-PI

Representantes das coordenações de cursos do Centro de Ciências Sociais Aplicadas (CCSA), do Campus Torquato Neto, da Universidade Estadual do Piauí (UESPI), manifestaram repúdio à proposta de transferência dos cursos de Administração, Ciências Contábeis e Direito para o Campus Clóvis Moura.

Recentemente, os docentes se reuniram e deliberaram contra o projeto de mudança apresentado pela reitoria da universidade, que propõe que concentrar todos os cursos de licenciatura no Campus Poeta Torquato Neto, enquanto os demais cursos seriam transferidos para o campus da zona sudeste.

Segundo a nota emitida pelos coordenadores, “a transferência e unificação dos cursos para o Campus Clóvis Moura desconsidera as necessidades acadêmicas e logísticas dos alunos e professores”.

Um dos pontos ressaltados é que a proposta de unificação aumentaria os custos de transporte e o tempo de deslocamento, o que prejudicaria muitos estudantes que residem próximos ao campus Torquato Neto e na cidade de Timon (MA). Os professores também alertam para os impactos negativos na economia local, uma vez que a mudança poderia afetar o mercado imobiliário e o setor de alimentação que atende os alunos.

“A proposta aumentará significativamente os custos de transporte e o tempo de deslocamento, dificultando a permanência dos estudantes na universidade e comprometendo a qualidade do ensino. A transferência e unificação dos cursos provocarão impactos socioeconômicos negativos à região. Muitos estudantes que atualmente residem em kitnets próximas ao campus terão que se deslocar, resultando na desocupação de imóveis. O setor de alimentação, composto por restaurantes, lanchonetes e mercados que atendem os alunos, também será prejudicado”, diz a nota de repúdio divulgada.

A unificação dos cursos também foi rechaçada por docentes e estudantes do Campus Clóvis Moura, que argumentam que a concentração dos cursos de licenciatura no Torquato Neto pode dificultar o acesso dos alunos da região Sudeste e Sul de Teresina, onde reside a maioria dos estudantes atuais do Clóvis Moura.

Durante um levantamento realizado pelo professor junto ao corpo discente, foi constatado que quase 50% dos alunos dos cursos do Campus Clóvis Moura moram na zona Sudeste enquanto outros 25% são da zona Sul. Uma parcela significativa escolheu esses cursos devido à proximidade com suas residências.

“Ao serem questionados sobre a escolha dos cursos, 68,8% mencionaram que a principal motivação foi a proximidade de casa. Com isso, percebemos que essa estratégia de unificar a oferta de cursos, na verdade, restringe o acesso a esses cursos a boa parte dos estudantes que moram nessas regiões periféricas”, explica o professor Carlos Rerisson Rocha da Costa, coordenador do curso de Geografia no Campus Clóvis Moura.

De acordo com o reitor da Uespi, o professor Evandro Alberto, a proposta deve assegurar a manutenção das vagas, ou seja, a unificação dos cursos não irá afetar a quantidade de vagas ofertadas.

“É preciso pensar em integrar este estudante. Porque ele tem que ficar separado? Por que o aluno do campus Clóvis Moura tem que concorrer na entrada com um do campus Torquato Neto? É o mesmo curso ofertado em locais diferentes. É muito ruim uma turma pequena para se reunir e fazer trabalho, pesquisa, seminários. Integrando, tudo melhora. Você aproveita melhor os professores, amplia a capacidade dos laboratórios e a qualidade do curso ofertado”, disse.

No entanto, para os docentes, há incertezas quanto à viabilidade a longo prazo, principalmente no que diz respeito à dificuldade em manter a oferta constante dos cursos em um único campus.

“Essa mudança concentraria todos os cursos em um único campus em Teresina, ao invés dos dois atuais. A Uespi tem falado que o número de vagas ofertadas seria mantido, o que ainda nos deixa com certa dúvida quanto à viabilidade dessa manutenção, uma vez que os turnos se chocariam e é pouco provável que essa oferta fosse mantida a longo prazo”, acrescenta o professor Carlos Rerisson.

A medida apresentada pela reitoria segue uma recomendação emitida pela 38ª Promotoria de Justiça de Teresina, do Ministério Público do Estado (MPPI), que solicita a promoção de adequações necessárias para o melhor aproveitamento dos espaços físicos da Universidade Estadual do Piauí, sugerindo a unificação dos cursos.

“A decisão de unificação foi tomada sem a devida consulta e participação dos principais interessados: os alunos e professores do Centro de Ciências Sociais Aplicadas. É essencial que as decisões sejam tomadas de maneira participativa, levando em consideração as necessidades e opiniões de todos os segmentos afetados. Exigimos que a Administração Superior da UESPI reavalie essa proposição e promova um amplo processo de consulta com toda a comunidade acadêmica envolvida”, diz a nota do CCSA.

Fonte: O Dia

Notícias relacionadas

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Se você está de acordo, continue navegando, aqui você está seguro, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais