23.9 C
Jacobina do Piauí
24 de abril de 2024
Cidades em Foco
GeralInternacionalPolítica

Deputado Franzé Silva registra B.O e diz que suspeito teria dito que “lugar de autista não é aqui” ao seu filho

Deputado Franzé

O presidente da Assembleia Legislativa (Alepi), deputado estadual Franzé Silva (PT), registrou um Boletim de Ocorrência (B.O) na manhã desta segunda-feira (25), contra um homem que teria discriminado o filho do parlamentar, um menino de seis anos com Transtorno do Espectro Autista (TEA).

No B.O, Franzé descreve que a criança teria sido vítima de uma abordagem agressiva por parte de outro pai, em uma área de playground de um restaurante na capital. Ao saber que o menino era autista, o homem teria dito (nas palavras do denunciante): “lugar de autista não era ali, que ficasse em casa, que não era pra estar com outras crianças”.

Ainda segundo a descrição da denúncia, a confusão teria acontecido após o menino de seis anos não respeitar a fila de um brinquedo, comportamento ansioso apontado pelo deputado como reflexo do TEA. Nesse momento, uma criança que estava na fila correu para o pai chorando.

Foto: Reprodução

O pai foi ao local e já abordou o menino e a babá de forma agressiva, ao ser informado que ele era autista, teria iniciado então as falas preconceituosas.

“Vou acionar judicialmente esse cidadão, se é que a gente pode chamá-lo de cidadão, para que possa servir de exemplo para as famílias de crianças atípicas para nunca se calarem, denunciarem e acionarem judicialmente todas às vezes que houver uma agressão. Mas também que possa servir de modelo e compreensão para outras famílias, para que possam buscar, através do diálogo com os pais, algum momento em que houver necessidade de algum entendimento, especialmente entre crianças” afirma Franzé Silva.

O parlamentar utilizou as redes sociais para divulgar o registro da ocorrência e agradecer o apoio e solidariedade das pessoas.

No domingo (24), o deputado já havia divulgado uma descrição do que aconteceu, quando recebeu diversas mensagens de seguidores como: “não podemos admitir esse tipo de atitude”, “absurdo situações como essas acontecerem nos dias de hoje, fiquem bem” e “infelizmente ainda precisamos conviver com pessoas acorrentadas a comportamentos tão desumanos”.

Por Marina Sérvio / CidadeVerde

Notícias relacionadas

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Se você está de acordo, continue navegando, aqui você está seguro, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais