26.9 C
Jacobina do Piauí
17 de julho de 2024
Cidades em Foco
DestaqueGeralNordeste em FocoPiauí

Área com seca do Piauí diminui para 56% em 2024; grau de severidade do fenômeno também cai

Operação Água e Vida visa minimizar os efeitos da seca no Piauí. - Fábio Pozzebom/ Agência Brasil.

Entre fevereiro e março deste ano, a área com seca do Piauí diminuiu de 62% para 56%. De acordo com o Monitor de Secas da Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico (ANA), essa é a menor área com o fenômeno no estado desde maio de 2023, quando houve seca em 29% do estado.

O monitoramento apontou ainda que, durante este período, a seca também se abrandou no Piauí, deixando de registrar seca grave no território, além da redução da seca moderada de 33% para 19% do estado.

Já com base no território de cada unidade da Federação, o Piauí ocupa a 13ª colocação em relação à área total com seca (142.064 km²) durante o mês de março.

Considerando as cinco regiões geopolíticas acompanhadas pelo Monitor de Secas, o Sul registrou a melhor condição com o Rio Grande do Sul e Santa Catarina livres de seca em março. O Centro-Oeste teve a maior intensidade do fenômeno com o registro de seca extrema em 4% da região e de seca grave em 17% de seu território. Entre fevereiro e março, houve um abrandamento do fenômeno no Nordeste e no Norte. Por outro lado, a seca se intensificou no Centro-Oeste, Sudeste e Sul.Considerando a extensão da área com seca, o Centro-Oeste liderou esse quesito com a presença do fenômeno em 93% da região em março, enquanto o Sul teve o menor percentual: 17%.

Monitor de Secas

O Monitor realiza o acompanhamento contínuo do grau de severidade das secas no Brasil com base em indicadores do fenômeno e nos impactos causados a curto e/ou longo prazo.

Os impactos de curto prazo são para déficits de precipitações recentes até seis meses. Acima desse período, os impactos são de longo prazo.

A ferramenta vem sendo utilizada para auxiliar o planejamento e a execução de políticas públicas de combate à seca e pode ser acessada tanto pelo site monitordesecas.ana.gov.br quanto pelo aplicativo Monitor de Secas, disponível gratuitamente para dispositivos móveis com os sistemas Android e iOS.

Da Redação (com informações da Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico – ANA)

Notícias relacionadas

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Se você está de acordo, continue navegando, aqui você está seguro, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais