27.3 C
Jacobina do Piauí
15 de junho de 2024
Cidades em Foco
Baú

O Nome da Rosa: um clássico

O início do filme mostra imagens que antecipam a atmosfera sombria. Dois cavalheiros que se embrenha nas montanhas até avistar, no topo de uma montanha bem alta, uma edificação.  Willian de Baskerville, monge franciscano, acompanhado por seu pupilo Adso de Melk, finalmente adentram os portões do mosteiro beneditino e, a partir do momento em que os grandes ferrolhos travam os portões, o aprendiz de monge sente que a situação é bem inquietante.

Willian toma conhecimento de misteriosas mortes que vem ocorrendo dentro do mosteiro, e contra a vontade dos monges dirigentes do lugar, ele começa a sua investigação. Enquanto os beneditinos acreditam que é perseguição demoníaca ou as pragas do Apocalipse, os dois visitantes começam a encontrar vestígio de uma ligação entre as mortes. Com a suspeita de que existe alguma chave para o mistério dentro da biblioteca que é mantida sob alta vigilância.

Para complicar mais a situação chega ao mosteiro um grupo que vieram do vaticano debater a temática do acumulo de riqueza pela igreja. Os franciscanos defendem a pobreza enquanto que os representantes do vaticano defendem o contrário. Mas isto é apenas a ponta do iceberg, pois logo em seguida aparece uma figura bastante temida, u inquisidor. Bernardo Gui vem com toda convicção e objetos de tortura arrancar da pele dos fieis algum resquício de heresia.

A narrativa apresenta o lado sombrio da Igreja católica na Idade Média, o preconceito e injustiça praticada contra a mulher. Esta situação fica clara por meio de citações em que coloca a mulher como ser do mal, que somente traz o perigo ao homem. Retrata a apropriação e proibição de livros. E a temática relaciona os crimes entre si. Um monge que não suportava o riso, envenena um exemplar original grego de Aristóteles em que ele louvava a comédia. Assim, todo aquele que ousava ler a obra era morto pelo envenenado, pois ao folhear o livro com o dedo e leva-lo à boca se contaminava.

O filme é uma narrativa feita pelo personagem Adso, que na sua velhice decide contar os fatos ocorridos em sua juventude. E a partir de seus depoimentos, em forma de flashback, a história de desenrola. O filme é baseado na obra de Humberto Eco, que aconteceu no ano 1327, na Itália.  Retrata momento histórico de maneira bem convincente, apesar de ser uma história dramática e séria, o diretor não se esqueceu da pitada de romance. Do meio do nada ele tira uma mulher bonita para “tentar” o inocente aprendiz de monge.

 

 

 

 

imagem de divulgação
imagem de divulgação

Notícias relacionadas

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Se você está de acordo, continue navegando, aqui você está seguro, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais