25.3 C
Jacobina do Piauí
13 de junho de 2024
Cidades em Foco
GeralNordeste em Foco

Mandiocultura reage e safra deste ano anima os agricultores

Após três anos de perda por causa da seca, o setor da mandiocultura reage e os resultados são positivos no semiárido do Piauí. A chuva transformou a paisagem de uma das regiões do estado, onde mais se produz mandioca.

O agricultor Luís Antônio da Silva está animado. Ele sabe que mandioca se planta num ano para colher no outro, mas para a sua surpresa e dos outros produtores de Marcolândia, Sul do Piauí, a plantação de janeiro já está no pronta para ser colhida.

A área plantada no município é de 2.300 hectares este ano, quase o dobro do ano passado e a produção também deve aumentar. A terra úmida indica o motivo. “Foi um inverno bom, com chuvas no tempo certo”, destacou Luís.

O que está acontecendo este ano em Marcolândia é a recuperação da mandiocultura. Nos últimos anos a estiagem arrasou a produção e em várias propriedades as perdas foram totais. Para se ter mandioca no mercado local era preciso comprar de São Paulo, mas o produto chegava no Piauí muito caro e custando até R$ 700 por tonelada.

Os prejuízos fizeram muitos agricultores deixar o município em busca de alternativas para sobreviver. A promessa de fartura trouxe de volta o produtor Marivaldo Antônio. Durante a seca, ele foi trabalhar como carpinteiro em Campo Grande, no Mato Grosso do Sul.

Na terra natal, ele voltou para ajudar na fabricação da farinha de mandioca. “Vai dar agora, melhorou a situação, pois choveu bem”, declarou.

A produção da farinha de mandioca está fazendo reabrir na cidade as fábricas fechadas durante a estiagem. Cada uma emprega cerca de 30 mandioqueiros. “Aqui nós proseia, acha graça, faz amizades, briga tudo a custa da mandioca”, disse animada a agricultora Francisca Lúcia da Silva.

No vizinho município de Simões, a promessa de boa safra de mandioca também alegra os produtores como o Claudio Silva. “Ficamos felizes demais com uma novidade dessa. Quem não fica com fartura?”, comentou.

A mandioca também trouxe felicidade para a casa de dona Josefa da Conceição, onde o cultivo da raiz sustenta a terceira geração da família. “Quando eu era menina já trabalhava com isso, depois passei para os filhos e netos”, contou.

Com a boa colheita, a expectativa agora é trazer novamente os compradores, pois a seca afastou todos e os preços caíram. “Agora encontramos os produtores reclamando dos preços baixo e farinha sobrando. A produção agora é grande e não temos os compradores, mas agora às portas estão abertas”, comentou José Pedro Sérgio, presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Simões.

Fonte: G1 Piauí

Notícias relacionadas

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Se você está de acordo, continue navegando, aqui você está seguro, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais