18 de abril de 2024
Cidades em Foco
GeralInternacionalNordeste em FocoSaúde

Doações e transplantes de órgãos cresceram no Brasil em 2023

Foto: Freepik

As doações e os transplantes de órgãos cresceram no Brasil, em 2023. A taxa de doadores, por um milhão de pessoas, ficou em 19,9% – acima da meta prevista para o ano, que era de 19,4%.

O Brasil registrou recorde nos transplantes de rim, de fígado e de coração. E dá pra melhorar esses números. A cada mil pessoas com morte encefálica, no ano passado, 14 poderiam ter doado órgãos, mas apenas duas fizeram isso.

Essa é uma atitude que salva muitas vidas. No interior de São Paulo, uma menina de 3 anos recebeu a doação de um coração em tempo recorde. Foram cinco horas entre a localização de um órgão compatível e a cirurgia.

Momentos antes da cirurgia, a pequena Ana Lívia estava tranquila e brincando. Enquanto isso, várias pessoas corriam contra o tempo para que o transplante de coração dela pudesse ser realizado.

“A criança doadora estava em Cuiabá, a 1.200 km daqui, então nós conseguimos um jato e saímos daqui, às 19h30, fomos lá, retiramos o órgão, ao redor de 00h, retornamos, 01h30 da manhã estávamos aqui, transplantamos o coração e a cirurgia terminou seis horas da manhã com grande sucesso”, contou o cirurgião vascular Ulisses Alexandre Croti.

A cirurgia foi feita no Hospital da Criança e Maternidade de São José do Rio Preto, no noroeste paulista, e entrou para a história da instituição por ser o transplante realizado no menor tempo de espera.

Apenas algumas horas depois de entrar na lista em busca do órgão, Talissa Prado, mãe da criança, foi avisada que havia surgido um coração compatível. Um alívio, já que a situação de Ana Lívia era crítica.

“A gente descobriu ela tinha 1 ano e 5 meses, ela estava muito fraquinha e com uma febre que não cessava. Me deram o prazo de seis meses para conseguir um transplante, ali listaram ela 7h30, 8h da manhã. Foi pra casa de apoio, quando voltei, cochilando, acordei com a doutora me avisando que tinha aparecido o coração”, conta Talissa.

Esse é o 15º transplante cardíaco pediátrico realizado pelo hospital. Agora, Ana Lívia deve ser acompanhada de perto pela equipe médica.

Fonte: SBTNews 

Notícias relacionadas

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Se você está de acordo, continue navegando, aqui você está seguro, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais