24.3 C
Jacobina do Piauí
27 de fevereiro de 2024
Cidades em Foco
GeralInternacionalPolítica

Construção do Terminal Pesqueiro deve impactar a pesca no litoral do Piauí

Terminal Pesqueiro Fotos: Ccom

O Terminal Pesqueiro de Luís Correia – que consiste na primeira etapa do Porto Piauí – vai impactar diretamente a vida de 30% da população do município. Segundo a Investe Piauí, três em cada dez habitantes do município são envolvidos com a atividade de pesca. Existem atualmente 8.335 cadastrados na Secretaria de Pesca de Luís Correia.

O primeiro benefício que o terminal trará na vida dos pescadores é econômico, pois as indústrias de pescados que serão instaladas junto ao terminal vão comprar a produção dos pescadores por um valor maior.

Atualmente, os pescadores vendem seus produtos a atravessadores por um preço muito baixo, o que não dá retorno financeiro suficiente. É o caso do pescador Areolindo Falcão, que tem 30 anos de profissão. “A gente vende o peixe de segunda a R$ 4 o quilo, e a pescada amarela a R$ 22. É muito barato, praticamente só pegamos o dinheiro para comer”, afirma Falcão.

Felipe Sousa, assessor da Investe Piauí, explica que, além de permitir o acesso direto dos pescadores às indústrias, o Terminal Pesqueiro vai oferecer melhor qualidade de fornecimento de gelo, combustível e suprimentos para suas operações, o que significa uma pesca mais segura e eficiente. “O terminal proporcionará uma estrutura mais adequada do que as condições atuais”, diz Sousa.

Além disso, o Terminal Pesqueiro vai gerar muitos empregos, pois precisará de mão de obra para beneficiar o pescado. É comum as empresas contratarem as esposas dos pescadores. Isso irá gerar um impacto econômico forte na população local. Outra vantagem do terminal é que vai gerar impostos para o Piauí. “Atualmente, uma parte significativa da produção vai para o Ceará, devido à infraestrutura existente lá. O terminal permitirá que o Piauí retenha mais dessa riqueza, evitando a perda de impostos e contribuindo para a economia local”, explica Felipe Sousa.

Além disso, o Governo do Estado vai promover cursos de capacitação aos pescadores, de forma que melhorem a produtividade e obtenham certificados, entregando um produto de qualidade, superior ao mercado, obedecendo às regras sanitárias.

Na cidade, as principais organizações sociais que representam a categoria são a Colônia de Pesca (Z1), Sindicato dos Pescadores Artesanais e Profissional (SINDPELC), e a Associação dos Armadores de Pesca do Estado do Piauí (AAPESPI).

Ascom

Notícias relacionadas

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Se você está de acordo, continue navegando, aqui você está seguro, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais