25.3 C
Jacobina do Piauí
13 de junho de 2024
Cidades em Foco
GeralPolícia

Anistia Internacional cita caso do garoto Eduardo em relatório “Você matou meu filho!”

A Anistia Internacional citou o caso do garoto Eduardo no relatório intitulado “Você matou meu filho!”, onde são enumerados homicídios cometidos pela Polícia Militar do Rio de Janeiro. Eduardo era filho da diarista piauiense, Terezinha Maria de Jesus, e foi morto por uma bala perdida na porta da casa onde morava no Morro do Alemão no dia dois de abril.

O relatório se baseia em uma série de casos de homicídios praticados por policiais militares nos anos de 2014 e 2015 na cidade do Rio de Janeiro, em particular na favela de Acari.

A Anistia Internacional realizou entrevistas com vítimas e familiares, testemunhas, defensores de direitos humanos, representantes de organizações da sociedade civil, especialistas em segurança pública e autoridades locais, e coletou detalhes sobre as cenas dos crimes, registros de ocorrência, atestados de óbito, relatos de especialistas e inquéritos policiais.

Através deste material, a Anistia Internacional denuncia a existência de fortes indícios de execuções extrajudiciais e um padrão de uso desnecessário e desproporcional da força pela Polícia Militar.

Uma série de medidas é estudada pela Anistia para evitar novos casos como o do garoto Eduardo, entre elas estão a condenação pública do uso desnecessário e excessivo da força pela polícia e o comprometimento a erradicar a prática de execuções extrajudiciais.

Na página brasileira da Anistia, foi publicada uma postagem onde se relata que policiais militares quiseram retirar o corpo de Eduardo do local do crime, mas foram impedidos por familiares e moradores que protestaram, garantindo que o caso fosse investigado. A postagem ressalta a mobilização como essencial para o fim da impunidade.

 

Do Rayldo Pereira / Cidade Verde

Notícias relacionadas

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Se você está de acordo, continue navegando, aqui você está seguro, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais